Notícias


Brasil precisa avançar nas questões trabalhistas para pequena empresa

Afirmação é do presidente do Sebrae, Paulo Okamotto, que participou da inauguração do 105º de Posto de Atendimento ao Empreendedor em São Caetano do Sul (SP)

Beth Matias

São Paulo – O Sebrae entrará em 2007 em um novo desafio, segundo o presidente da instituição, Paulo Okamotto. De acordo com ele, o Brasil precisa avançar mais em relação à questão trabalhista para as micro e pequenas empresas. “O Sebrae vai entrar neste desafio no próximo ano. Nós somos o único País do mundo em que a Justiça do Trabalho recebe 3 milhões de processos por ano. Precisamos enfrentar estas questões cruciais para o País”, disse.

Okamotto participou na manhã desta terça-feira (19), em São Caetano do Sul, região do ABC paulista, da inauguração do 105º Posto de Atendimento ao Empreendedor (PAE) e o primeiro da região do ABC junto com o superintendente do Sebrae em São Paulo, José Luiz Ricca. Os postos oferecem serviços e produtos do Sebrae, como cursos, treinamentos e orientação empresarial para quem quer abrir ou melhorar uma pequena empresa ou empreender por conta própria.

Outro grande desafio para o País em 2007, de acordo com o presidente do Sebrae, será a educação. “São Caetano é um município privilegiado em termos de educação, muito diferente do restante do País. Vamos precisar tratar a educação básica, mas também a profissional. Quando viajamos, ouvimos dos empresários reclamações em relação à qualificação da mão-de-obra existente no País”.

Okamotto pediu às autoridades políticas presentes, como o vice-prefeito de São Caetano, Walter Figueira Júnior, e vereadores, que “peguem o espírito” da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, sancionada na semana passada pelo presidente Lula, e transformem em ações correntes. “Por exemplo, a abertura de um negócio sem vistoria prévia, desde que não seja perigoso ao consumidor ou à saúde pública, já pode ser realizada. Além disso, há o acesso a compras governamentais e facilidades administrativas”.

O presidente do Sebrae também reconheceu o esforço que o Sebrae em São Paulo tem feito para construir um modelo de descentralização no atendimento. “Quando lançamos a Revolução no Atendimento, o Sebrae em São Paulo prontamente começou o projeto com o PAE e hoje exporta este modelo para as unidades do Sebrae em outros estados”.

Segundo ele, a meta da instituição é chegar a todos os municípios brasileiros, seja na forma presencial ou por meio da internet e de outras mídias. Para o superintendente José Luiz Ricca, quem procura um posto de atendimento do Sebrae vem com o sonho de empreendedor e, por isso, é preciso que tenha todas as informações disponíveis.

“A partir de agora todos os programas estruturantes do Sebrae estarão à disposição da população de São Caetano. O Sebrae sozinho não é absolutamente nada. Por isso, devemos agradecer aos parceiros pelo trabalho realizado”, disse.

São Caetano

Além do Sebrae, são parceiros no PAE a prefeitura municipal de São Caetano do Sul, a Associação Comercial e Industrial de São Caetano do Sul e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) Regional de São Caetano do Sul.

Com uma população de cerca de 140 mil habitantes, segundo dados do IBGE, São Caetano possui mais de 8.000 estabelecimentos, sendo a maior parte no setor de comércio (3.414) e serviços (3.731). Segundo os dados fornecidos pelo Observatório das Micro e Pequenas Empresas, do Sebrae em São Paulo, há também na cidade mais de 1.000 indústrias (construção, metalúrgica e confecções).

“Diante da quantidade de pequenos negócios na cidade e da cobrança dos próprios empresários por um posto do Sebrae no município é que estamos inaugurando o PAE. Mesmo antes desta cerimônia, o posto já começou a ser procurado por empresários e empreendedores”, disse o diretor regional da Fiesp em São Caetano, Fernando Trincado.

Já para o vice-prefeito da cidade, o posto fará o “papel de pai e mãe do pequeno empreendedor, que precisa de orientação jurídica e técnica para a ordenação de sua pequena empresa”.

O posto funcionará junto com o Banco do Povo, no mesmo prédio onde está a Casa do Artesão de São Caetano do Sul. Mas, segundo a gerente do escritório regional do Sebrae no Grande ABC, Josephina Irene Cardelli, ainda no primeiro semestre do próximo ano o PAE deverá ser transferido para as instalações da Central Fácil, a ser inaugurada. “A abertura de uma Central Fácil é uma articulação da Prefeitura de São Caetano em parceria com o Sebrae”.

De acordo com a gerente, ainda no primeiro semestre do próximo ano o Sebrae pretende inaugurar mais dois postos de atendimento ao empreendedor. Um será em Diadema e o outro em Rio Grande da Serra compartilhado com Ribeirão Pires. “Estamos fechando 2006 com chave-de-ouro, entregando o posto de São Caetano à comunidade. Nosso objetivo é fortalecer a atuação do Sebrae na região, unindo os esforços de todos os parceiros que já trabalham com os pequenos negócios”.

Serviço
Sebrae Grande ABC – (11) 4990-1911
Agência Sebrae de Notícias – (61) 3348-7494 e 2107-9362
Sebrae em São Paulo – (11) 3177-4500