Notícias


BB confirma linha para montadoras; R$ 1 bi sai amanhã

Fonte: Redação Terra

Laryssa Borges
Direto de Brasília

O presidente do Banco do Brasil (BB), Antonio Francisco de Lima Neto, confirmou nesta quinta-feira a criação de uma linha de financiamento no valor de R$ 4 bilhões para adquirir as carteiras de créditos dos bancos das montadoras vítimas da escassez de crédito no mercado. Desse montante, R$ 1 bilhão já deve ser aplicado nesta sexta-feira.

"É uma linha de interbancário com garantia de carteiras, que já está sendo operacionalizada, inclusive. É um recurso extra no valor de até R$ 4 bilhões para manter o ritmo das vendas neste final de ano", comentou Lima Neto ao chegar para reunião plenária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).

"Serão R$ 4 bilhões para este ano. Essa semana provavelmente já colocaremos R$ 1 bilhão. Ontem mesmo já tínhamos operações sendo fechadas", afirmou o dirigente.

De acordo com Lima Neto, a linha terá impacto no prazo que os consumidores têm para quitar seus financiamentos.

"Provavelmente sim (impacta no prazo). Como os bancos de montadoras têm uma fonte de captação deles importante no interbancário, quando secou o interbancário automaticamente eles tiveram de reduzir prazos de financiamento. Com a volta do interbancário a partir do BB, é natural que se volte a ter uma melhor acomodação de prazos na ponta do consumo", disse, não descartando a possibilidade de novos recursos virem a ser anunciados futuramente.

"Nós estimamos R$ 4 bilhões até o final do ano, vamos testar esse valor a partir da demanda, do volume, da volta do financiamento na ponta. Acredito que sim (pode vir mais recursos), mas nós vislumbramos que a partir do momento em que você quebra a inércia e a volta do interbancário esses bancos também passarão a acessar outras linhas", observou Lima Neto.

"Essa linha para bancos de montadoras vem convergindo para essa orientação que falou o presidente, e nós também estamos cada vez mais tendo uma presença final na ponta do consumo, no financiamento dos veículos. Isso vem crescendo. O BB ainda não é relevante nessa etapa da cadeia produtiva, de financiamento ao consumo, mas nas demais, sim, e temos ampliado".