Notícias


Arrecadação de imposto no ano encosta em R$ 400 bi e bate recorde

UOL ECONOMIA

Da Redação
Em São Paulo
A arrecadação total de impostos e contribuições federais e de contribuições previdenciárias alcançou R$ 389,633 bilhões nos sete primeiros meses de 2008, em termos nominais. Com a correção pelo IPCA, o montante aumenta para R$ 396,934 bilhões, volume recorde para o período, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira pela Super Receita.

O recolhimento total subiu 11,21% em termos reais, ou seja, também com correção pelo IPCA, frente ao mesmo período de 2007 (R$ 356,93 bilhões).

O mês de julho sozinho também teve recorde. A Super Receita arrecadou um total de R$ 61,96 bilhões no mês passado, o maior valor para meses de julho. Essa arrecadação total inclui tanto os impostos e contribuições federais quanto a contribuição previdenciária. Foi o segundo melhor resultado do ano, atrás somente de janeiro, quando foram recolhidos R$ 64,87 bilhões (com correção pelo IPCA).

Na comparação com julho do ano passado (R$ 53,605 bilhões, com ajuste pelo IPCA), houve aumento real de 15,59% na arrecadação total. O recolhimento apresentou elevação real de 10,56% perante junho deste ano (R$ 56,042 bilhões, corrigidos).

No acumulado do ano, apenas os recolhimentos apurados habitualmente pela antiga Receita Federal com impostos e contribuições somaram R$ 276,791 bilhões no intervalo de janeiro a julho (R$ 282,017 bilhões com correção pelo IPCA), com crescimento real de 9,65% em relação aos sete primeiros meses de 2007 (R$ 256,201 bilhões).

As receitas previdenciárias, por sua vez, somaram R$ 97,081 bilhões (R$ 98,888 bilhões atualizados pelo IPCA), com aumento real de 12,44% sobre o mesmo intervalo do ano passado.

As demais receitas (principalmente royalties da extração de petróleo) ficaram em R$ 16,029 bilhões a preços corrigidos, com variação positiva de 36,06% sobre os sete primeiros meses de 2007 (R$ 11,781 bilhões).

(Com informações do Valor Online)