Notícias


Apesar de crise nos EUA e alta de impostos, pesquisa revela que otimismo da classe média é o maior em 10 anos

O Globo Online

Bruno Rosa – O Globo

RIO – Apesar do aumento da tributação, como a alta do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), e da crise na economia americana, que já se arrasta desde o início do segundo semestre do ano passado, o brasileiro começa 2008 com o maior otimismo dos últimos dez anos. Com a recuperação da renda, a classe média pretende mudar de emprego para garantir rendimento maior no fim do mês, diz pesquisa recém-concluída pela TNS InterScience, dona da Latin Panel e presente em 70 países.

Os grandes responsáveis pela maior confiança são as classes com menor poder aquisitivo. Em 1997, 48% dos brasileiros acreditavam que o poder de compra iria aumentar no ano seguinte. Este ano, o sentimento saltou para 59% dos entrevistados. Na classe média (classes C e B, com rendimento médio de R$ 960 e R$ 2.745, respectivamente), a confiança subiu de 52% para 65%. O mesmo movimento ocorreu nas classes de renda mais baixa (D e E): o número pulou de 47% para 53% no período.

Crédito pode crescer 20% e atingir R$ 1,1 tri em 2008

O grande responsável é a forte oferta de crédito na economia. Segundo Alex Agostini, economista-chefe da Austin Rating, o volume concedido por bancos vai ultrapassar R$ 1 trilhão em 2008 pela primeira vez na história e fechar o ano em R$ 1,1 trilhão. O aumento será de 20% em relação a 2007.

– Em 2007, a alta foi de 28%. Mas em 2008, o crescimento quantitativo será menor. Porém, haverá uma melhora qualitativa. Ou seja, haverá um ganho em cima de um aumento. Com a queda na taxa básica de juros, os bancos ofereceram mais crédito para continuar com bons resultados – afirma Agostini.