Notícias


Acidente destroçou confiança no setor aéreo, diz “Economist”

Folha Online

da BBC Brasil

A revista britânica "The Economist" diz na edição publicada nesta quinta-feira que a confiança dos brasileiros nos responsáveis pelo setor aéreo no país foi "destroçada" após o acidente com o avião da TAM em São Paulo.

Em um artigo intitulado "Um acidente esperando para acontecer?", a revista defende uma revisão do setor para acabar com a crise.

"Toda a governança da aviação brasileira, dividida entre civis e militares, precisa de investigação e reforma", disse a revista.

O texto afirma que, desde o acidente com o avião da Gol, em setembro do ano passado, quando morreram 154 pessoas, "a indústria das empresas aéreas do país mancou de uma crise para outra, enfrentando vôos cronicamente atrasados, controles de tráfego aéreo rebeldes e vários acidentes de menor gravidade e quase acidentes".

Especulações e acusações

No caso do acidente com o avião da TAM, a "Economist" diz que bastou que se passassem algumas horas do ocorrido para que começassem as especulações e as acusações.

"Alguns especialistas dizem que este era um acidente esperando para acontecer. As curtas pistas de pouso de Congonhas ficam no coração de uma das maiores cidades do mundo", diz a revista.

O texto lembra que uma ordem judicial determinou o fechamento do aeroporto em fevereiro, mas foi derrubada depois de ter sido considerada "drástica demais".

A "Economist" diz que "pilotos e engenheiros reagem dizendo que o que conta são as condições do aeroporto, e não seu tamanho e localização".

"E sobre isso, recaem dúvidas", completa a revista, lembrando que a pista principal do aeroporto foi reaberta em 29 de junho depois de uma reforma, sem que nela fossem feitas ranhuras para ajudar na drenagem e evitar derrapagens de aeronaves.