Notícias


A nova cara do Brasil: 7 destaques do Censo 2010

Portal Exame

Novos resultados divulgados pelo IBGE mostram avanços importantes em indicadores sociais, embora a desigualdade econômica continue elevada

São Paulo – O IBGE divulgou hoje novos resultados do Censo 2010. Em comparação com os números anteriores, de 2000, a pesquisa atual mostra avanços significativos, sobretudo na área social, que começam a mudar a cara do Brasil.

Os resultados revelam que as desigualdades econômicas ainda são marcantes. Entretanto, em 10 anos, houve reduções importantes em indicadores que são conhecidos pontos fracos do país, como a mortalidade infantil e o analfabetismo.

Menos casamentos, mais pardos e pretos na população, menos casamentos tradicionais e o triplo de computadores nas casas dos brasileiros: veja alguns dos principais destaques do Censo 2010.

Mortalidade infantil caiu 85% em 30 anos

O Censo 2010 revela que os cuidados médicos a recém-nascidos evoluíram nas últimas décadas. Números do IBGE mostram que, em 2010, 3,4% dos óbitos no país ocorreram antes do primeiro ano de idade. No censo de 1980, este número chegava a 23,3%, ou seja, houve uma queda de 85,4% em 30 anos.

Há menos analfabetos e mais crianças na escola

Em 10 anos o percentual de pessoas entre sete e 14 anos fora da escola diminuiu, caindo de 5,1% para 3,1%. A taxa de analfabetismo de pessoas acima dos 15 anos foi de 9,6% em 2010, segundo o IBGE. Há 10 anos o percentual era de 13,6%. Na faixa entre 10 e 14 anos, o número de analfabetos também caiu entre 2000 (7,3%) e 2010 (3,9%). Além disso, entre 2000 e 2010, diminuiu de 5,1% para 3,1% o percentual de crianças e adolescentes fora da escola.

Há três vezes mais computadores nas casas

Em 10 anos o contato dos brasileiros com a tecnologia aumentou razoavelmente. A presença de todos os bens duráveis nos domicílios aumentou, mas o maior destaque são os computadores Em 2000, eles estavam presente em 10,6% das casas no Brasil. Dez anos depois, o número mais do que triplicou, chegando a 38,3%.

Os brasileiros estão se casando menos (na igreja, pelo menos)

Nada de véu e grinalda. Na última década o número de uniões mais tradicionais, com destaque para os casamentos civil e religioso, diminuiu, passando 49,4% para 42,9% do total. Por outro lado, as uniões consensuais aumentaram, passando de 28,6% para 36,4%.

Mais da metade da população se declara preta ou parda

Segundo o IBGE, pela primeira vez o número de pessoas que se declaram brancas diminuiu. Na comparação entre os censos de 2000 e 2010, esta quantidade caiu de 53,7% da população para 47,7%. Houve crescimento de 6,2% para 7,6% dos que se declaram pretos e de 38,5% para 43,1% de pardos.

Há mais pessoas empregadas, e com carteira assinada
Na última década, segundo o IBGE, o percentual de pessoas com alguma ocupação aumentou de 48% para 53%. Além disso, dentre o grupo de ocupados, a quantidade de empregos formais também cresceu. Em 2010, o nível de pessoas com carteira assinada chegou a 65%.

Quase meio milhão de brasileiros moram no exterior

Em 2010, o número aproximado de brasileiros no exterior chegou a 491,6 mil, distribuídos em 193 países. A maioria dos emigrantes são mulheres (53,8%). De acordo com os números do Censo 2010, o principal destino de quem sai do Brasil são os Estados Unidos, que atraem 2,8% dos migrantes, além de Portugal (13,4%) e Espanha (9,4%). Ainda de acordo com o IBGE, 49% dos brasileiros que deixam o país são da Região Sudeste.