Notícias


7 empreendedores que faturam com cervejas artesanais

Portal Exame

Empresários contam histórias e diferenciais de seus negócios

Cerveja e empreendedorismo

São Paulo – Atrás de países como Alemanha e Estados Unidos, o Brasil não é o maior consumidor decervejado mundo. A produção da bebida, ainda dominada por grandes empresas, no entanto, começa a atrairempreendedorespara microcervejarias, muitas com produção ainda artesanal.

Apesar dos reajustes de impostos nasbebidas– cervejas e refrigerantes sofreram um aumento médio de 15% em 2011 -, a produção de cerveja alcançou 13,3 bilhões de litros no ano passado – em 2010 foram 12,8 bilhões, um crescimento de 3,37%. Os dados são do Sistema de Controle de Produção de Bebidas (Sicobe) da Receita Federal.

Em expansão considerável desde 2005, as microcervejarias – pequenas indústrias com produção inferior a cinco milhões de litros por ano, que seguem receitas tradicionais – são uma nova tendência. Segundo a Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe), esse crescimento se deve à busca de novos sabores por um consumidor cada vez mais exigente e pelo aumento de renda da população. Dados da entidade mostram que as microcervejarias representam 0,5% do mercado cervejeiro nacional – correspondente a cerca de 66,5 milhões de litros no ano passado.

A expectativa, no entanto, é de crescimento acelerado. De acordo com a Abrabe, as microcervejarias devem alcançar 2% do mercado brasileiro de cerveja em 10 anos. Hoje, são 175 micro fábricas registradas no país, em especial no Sul e Sudeste. Veja a seguir as histórias e peculiaridades de sete microcervejarias espalhadas pelo país.