Notícias


3 cidades brasileiras que vão faturar alto no Carnaval

Portal Exame

Rio de Janeiro, Salvador e Recife devem faturar, juntas, 3,7 bilhões de reais durante a festa

São Paulo – Os foliões locais e os estrangeiros não serão os únicos a aproveitar o carnaval no Brasil. A economia do país será beneficiada por uma movimentação bilionária entre sexta-feira à noite e a quarta-feira de cinzas. Segundo o Ministério do Turismo (MTur), entretanto, três cidades em particular vão faturar alto durante as festas.

O Rio de Janeiro, que tem o maior carnaval do mundo, lidera o ranking. Segundo a Riotur, da Secretaria Municipal de Turismo, a cidade vai receber três milhões de visitantes para o carnaval.

Eles vão garantir um impacto de 2,2 bilhões de reais na economia da cidade. No ano passado, a cidade havia atraído 2,6 milhões de visitantes, e teve uma renda de 1,9 bilhões de reais.

A cidade de Salvador, que tem o segundo maior carnaval do Brasil, estima que o carnaval deste ano será bem parecido com o do ano passado, pelo menos no que diz respeito aos números.

Cerca de 500 mil turistas devem visitar a capital baiana para conferir os tradicionais desfiles de trios elétricos. A animação dos turistas, estrangeiros e locais, vai colaborar para que a cidade fature um bilhão de reais, segundo estimativas da prefeitura.

A cidade pernambucana vai atrair cerca de 770 mil turistas – 10% a mais do que no ano passado. A movimentação financeira na capital durante a festa deve chegar a 500 milhões de reais.

O carnaval em São Paulo, embora tradicional, deve ter números bem menos expressivos. A cidade não está entre os principais destinos turísticos durante a festa, nem encabeça a lista dos maiores faturamentos.

Segundo a Secretaria Municipal do Turismo, o Sambódromo no Anhembi deve receber 23 mil turistas. Eles serão responsáveis por 64% dos pouco mais de 100 milhões de reais que a cidade vai faturar.

Ao todo, segundo o MTur, Seis milhões de turistas são esperados para o carnaval no Braisl. O impacto na economia dever ser de 5,5 bilhões de reais.